Quem é empresário ou microempreendedor já entra no negócio sabendo a importância de ter um capital de giro, e , mesmo que ele seja construído ao longo do caminho, esse dinheiro precisa existir o mais rápido possível.

O capital de giro será aquela reserva de emergência, que muitas pessoas físicas possuem, ou seja, quando existir algo urgente, ele terá que ser utilizado. Um exemplo atual, é que atualmente, muitas empresas tiveram que recorrer ao capital de giro por causa da crise econômica causada pela pandemia do novo coronavírus.

Quem não tinha esse “socorro”, teve que demitir, cortar gastos ou até fechar a empresa, porque as opções se esgotaram. Só que o capital de giro não se resume aquele dinheiro que você guarda em uma conta, por exemplo.

Existe um cálculo para atender cada tipo e negócio. É preciso levar em conta alguns critérios para chegar ao valor total do capital de giro, se não, quando ele for necessário, pode não ser suficiente para atender as emergências.

Neste texto traremos algumas informações de como calcular o capital de giro para manter o negócio. Você vai entender a importância do capital de giro e de que maneira chegar ao valor final, tendo a consciência de que para qualquer tipo de empresa, o capital de giro é essencial para manter o negócio vivo independente do momento econômico.

Qual a importância do capital de giro para o negócio?

Quase nenhuma empresa sobrevive sem capital de giro. Ele não existe  só para os momentos de crise e urgências, mas também para eventuais pagamentos extras que surgirem para melhor a produção da empresa, por exemplo.

Ter um capital de giro não é só importante, mas extremamente necessário. Não é difícil criar o seu. O empresário que está começando, pode começar fazendo empréstimos ou direcionando parte dos lucros apenas para este fim, por exemplo. 

Basicamente, o capital de giro é o que mantém sua empresa respirando. Saúde financeira, segurança para compras á prazo, reposição de estoques não planejados e tudo mais depende de um dinheiro a mais, digamos assim.

Diferente de uma poupança de pessoa física, onde não existe um valor máximo e mínimo ou qualquer cálculo, para chegar ao valor ideal de capital de giro é preciso planejamento e pesquisa. Continue conosco para entender como calcular o capital de giro do seu negócio.

O cálculo do capital de giro: quanto é necessário?

Como já citamos, o capital de giro não é só aquele dinheiro guardado, aleatoriamente. Ele precisa ser pensado de acordo com a realidade da empresa. Se você já se planejou para abrir a empresa, planeje-se para esse cálculo também.

A fórmula ideal

O capital de giro líquido (CGL) é a soma dos Ativos Circulantes (AC), que são contas a receber, estoque, pagamentos a prazo e outros recebimentos. Somados esses fatores, é preciso subtrair do Passivo Circulante (PC), que é pagamento de salários, aluguel, ou seja, despesas da empresa. Temos então:

CGL = AC – PC

Após fazer essa conta, chegaremos ao valor total do capital de giro. Tudo que sobrar daí, rotineiramente, precisa ser colocado em um local seguro, na maioria das vezes, conta bancária de pessoa jurídica.

Precisa sobrar

A regra para as empresas é essa. Depois que pagar todas as contas, o empresário precisa fazer sobrar o dinheiro do capital de giro. Caso isso não aconteça e passe a ser rotina, é preciso identificar os erros e corrigi-los. Contrate um profissional de finanças, como um contador, para organizar seus pagamentos e recebimentos, para sempre manter o lucro.

Onde não usar o capital de giro?

O capital de giro é um valor que existe para auxiliar a empresa no dia a dia, seja em emergências ou situações que necessitam de um dinheiro alto disponível, mas, é importante sabe como utilizar o valor. Veja onde não usar esse dinheiro.

Compra de mobiliário

O capital de giro não serve para investir na expansão da empresa através de compra de móveis, por exemplo. Isso é investimento fixo e deve existir, claro, mas a compra precisa ser feita com o lucro da empresa, ou um caixa que existe só para esse fim.

Gastos pessoais

Utilizar o capital de giro para “apagar incêndios” na sua família, emprestar para alguém ou comprar coisas fora do planejamento e desnecessárias é um erro. O empresário que faz isso conta com a certeza de que irá repor os valores, mas isso pode nunca acontecer e o capital de giro irá pelo ralo.

Aproveitar “chances únicas”

Muitos empresários acabam ficam desesperados por promoções e descontos oferecidos por fornecedores, por exemplo. O único dinheiro disponível para aproveitar é o do capital de giro, e , sem pensar muito, uma fatia desse valor se vai, sem pesquisa, sem saber se aquele produto trará o retorno necessário. Mais um erro que é crucial.

Quando usar o capital de giro?

É preciso deixar bem claro que o capital de giro deve ser usado com cuidado e de forma planejada, ainda que esse dinheiro esteja disponível e com acesso fácil para a empresa.

Manter estoque

O estoque é o que faz sua empresa girar, é graças a ele que existem as compras e as vendas. Caso precise repor estoque, com a certeza desse dinheiro voltar através de lucro, pode utilizar o capital de giro

Emergências

Crises financeiras existem, e o  capital de giro vai assegurar o pagamento de funcionários, aluguel e outras contas que a empresa tem normalmente. Um exemplo é se a empresa encarar uma queda nos lucros por causa de baixa nas vendas. O capital de giro está lá para cobrir o que for necessário.

Vendas a prazo

Em momentos complicados, precisamos oferecer benefícios aos clientes, como vendas a prazo. O capital de giro vai permitir que o empresário corra o risco, criando crediários e boas condições para manter os clientes e fazer com que o produto se torne necessário por causa das facilidades.

Afinal, é importante calcular o capital de giro?

Não só importante, mas imprescindível. Na lista de prioridades na hora de abrir a empresa, como você vai construir o capital de giro deve estar nas primeiras colocações. Ainda que o empresário aposte no sucesso antes disso, em algum momento terá que separar dinheiro e colocar nessa espécie de fundo, que é o capital de giro. 

Então, agora que você sabe fazer esse cálculo, “mãos a obra”. Coloque no papel quanto é necessário e como manter o capital de giro mensalmente sem te deixar em risco financeiro. Utilize a fórmula que ensinamos, tenha cautela e planejamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *